Traumas de Face - Dr. Fernando Fonseca

Traumas de Face

Com a evolução das técnicas cirúrgicas, a cirurgia plástica tornou-se uma grande aliada no tratamento de fraturas, em especial a da face, região relativamente sensível, que pode sofrer com traumas graves.

 

Quais seriam os tipos de fratura na face?

Os casos mais comuns de fratura de face são no nariz, malar (osso da bochecha) e mandíbula. São causadas, na maioria das vezes, por quedas, lesões esportivas, acidentes com veículos e agressão física. Quando não tratada, a lesão pode levar a desvios ósseos, que além de comprometer a parte estética pode gerar problemas respiratórios e mastigatórios.

 

Como a cirurgia plástica ajuda no tratamento dessas fraturas?

A cirurgia plástica possibilita a recuperação das partes frágeis da região, como a pele e o subcutâneo — tecido celular abaixo da derme. Através das modernas técnicas que dispomos atualmente, podemos corrigir a lesão, fixando o osso no devido lugar e repondo sua funcionalidade.

 

É aplicado algum material neste procedimento?

Dentre os tratamentos de comprovada eficácia estão os de placa de titânio, que são feitas com metal compatível para a ressonância magnética. Se antes, no pós-operatório, era impossível realizar o controle do paciente com as placas de aço, hoje dispomos dessa vantagem, que permite excelentes resultados a curto e longo prazo. Na maioria dos casos, com a utilização dessas placas, chegamos ao objetivo esperado com a realização de apenas um procedimento.

 

Depois de quanto tempo após a fratura é possível se submeter ao procedimento? Existem contraindicações?

A cirurgia é realizada após a diminuição do edema, que varia, em média, de5 a15 dias. Não existem contraindicações; porém, quando a lesão está associada a outros traumas, como neurológicos e ortopédicos, a prioridade cirúrgica é para a resolutividade destes problemas.

 

A face é uma região sensível e mais exposta. As incisões são mais discretas?

Os cortes para corrigir as fraturas são cada vez menores, além do uso de modernos materiais que permitem mais segurança. As correções completas são um enorme avanço nos casos complexos, onde as técnicas convencionais não proporcionam o resultado desejado. Isso pode trazer uma nova esperança aos grandes mutilados, para seu retorno à vida social.

 

Como é o período de recuperação?

A fase de recuperação geralmente é de 15 dias, necessitando de retornos semanais no primeiro mês. Os pontos são retirados na primeira semana. As práticas esportivas e a exposição ao sol devem ser moderadas, de acordo com as orientações do médico.

Ícone interesse

Você tem interesse por este procedimento?

Agende uma consulta e saiba mais sobre ele.

Dr. Fernando Fonseca

Graduado em Medicina pela Universidade Federal de MInas Gerais, UFMG, em 2007, o Dr. Fernando Fonseca se especializou em Cirurgia Plástica durante a sua residência na Universidade do Vale do Sapucaí, UNIVÁS...